Projeto orienta a comer corretamente

Mudanças no cardápio com a inclusão de frutas e hortaliças buscam prevenir a obesidade infantil nas escolas

Mudanças no cardápio com a inclusão de frutas e hortaliças são formas encontradas pela Secretaria da Educação para prevenir a obesidade infantil nas escolas. Segundo a nutricionista Natália Valandro, coordenadora do projeto, anualmente é feita uma avaliação nutricional. Este ano 180 alunos (86 meninas e 94 meninos), entre a pré-escola até o 9º ano, participaram. Dados revelaram que 65% estão dentro do peso ideal. “Apenas 35% apresentaram taxas de obesidade e sobrepeso. Isso é reflexo do alto consumo de refrigerantes, salgadinhos e bolachas recheadas”, aponta.

Embora nos refeitórios seja oferecida uma alimentação saudável, a base de frutas e hortaliças, produzidos pela agricultura familiar, o consumo de algumas guloseimas é elevado, o que interfere diretamente nos resultados apresentados na pesquisa.

Para mudar a realidade, Natália busca o apoio do pais. “Precisamos incentivar eles a orientar os filhos a adotar uma alimentação correta”, afirma.

Dentro das escolas, quando as tentativas não têm sucesso, entra em cena a insistência. A orientação é de que a comida seja oferecida diversas vezes às crianças para que com o tempo adotam novos hábitos alimentares.

Segundo Natália, o incentivo não pode parar na educação infantil. Embora os biscoitos recheados e os salgadinhos sejam uma tentação às crianças e aos adolescente durante o ensino fundamental, cabe a todos a missão de fazê-los se alimentar corretamente.