De asilo para creche

Por falta de planejamento da gestão passada, Centro de Curta e Longa Permanência para idosos será transformado em creche para até 110 crianças

Por falta de planejamento da gestão anterior, o prefeito Paulo José Grunewald decidiu pôr fim ao projeto que construiria o Centro de Curta e Longa Permanência para idosos. O espaço de 1.178 metros quadrados, com três andares e que teria 22 dormitórios, será aproveitado para receber uma creche.

 

De acordo com Grunewald, logo após assumir a prefeitura no ano passado, iniciou um estudo de viabilidade financeira para dar seguimento ao projeto. “Se calculou quais seria os recursos necessários para concluir, manter e contratar os profissionais para atender os idosos”, explica.

 

Para manter o Centro de Curta e Longa Permanência, o município teria que dispor de R$ 132 mil por mês, o que geraria uma despesa de R$ 1,5 milhão por ano – impacto de 12% do orçamento anual de Forquetinha.

 

“Na gestão anterior, esse planejamento não havia sido feito. Seria uma irresponsabilidade com a população continuar esse projeto original”, contesta o prefeito. “Daqui a dois anos teríamos que fechar. Um bom gestor planeja e aplica bem os recursos”, completa. Além disso, o estudo do Executivo concluiu que todo o quadro de profissionais que atuariam no Centro de Idosos teria que ser contratado, pois não se poderia aproveitar os que trabalham na Secretaria de Saúde.

 

Segundo a Secretaria de Administração, Forquetinha tem apenas quatro idosos atendidos em instituições fora da cidade. Um pouco distante da necessidade de Forquetinha, que tem cerca de 577 idosos em todo município, o asilo contaria com recepção, sala de TV, cozinha, sala de refeições e lavanderia. Para prestar o serviço, médicos, enfermeiros, cuidadores, serventes e recepcionistas seriam contratados para atender os 44 idosos que ficariam no Centro de Curta e Longa Permanência.

 

“Com os 12% mais os 20% aplicados na Saúde, chegaríamos a um total de 32% do orçamento municipal. Como ficariam os nossos agricultures, que geram 80% da arrecadação da cidade?” contesta o prefeito.

 

O dinheiro da obra

 

Segundo o secretário de Planejamento Vianei Noll, o prédio seria construído em duas etapas. Na primeira, até a colocação do telhado, a empresa que realizava a obra parou os trabalhos por falta de recursos próprios, na metade do ano passado. “Foram R$ 452 mil repassados pela administração, de um total que chegaria a R$ 533 mil. Os R$ 181 mil que sobraram estão no caixa do município para a colocação do telhado. Assim, a primeira etapa estará finalizada. O custo total para terminar as obras chega a R$ 2 milhões”, explica Noll. Cerca de 40% da obra está concluída.

 

Transformando em creche

 

Com a superlotação da Brincar Construindo, única creche da cidade, o novo prédio abrigará as 110 crianças da Educação Infantil no terceiro pavimento. No primeiro andar. funcionará um estacionamento e, no segundo, no futuro, serão alocados departamentos da administração.

 

“Hoje ainda é possível modificar o projeto sem grandes perdas”, diz o secretário de Administração Roberto Muller. A cada dois dormitórios, será transformado em uma sala – espaço ideal para as crianças. Ainda serão aproveitados a cozinha, sala de TV, área de descanso, recepção, sala de refeições e lavandeira.

 

O prédio onde funciona a Brincar Construindo será destinado para o Ensino Médio, hoje localizado na escola João Batista de Mello.

 

“A 3a CRE já nos comunicou que precisa de um novo espaço que seja maior, pois o atual é muito pequeno. De forma alguma podemos perder essa conquista” finaliza Muller.

 

http://www.jornalahora.com.br/2018/03/22/de-asilo-para-creche/