Recursos possibilitam novos investimentos

Executivo amplia valor repassado à agricultores. Auxílios asseguram sucessão

Nos 17,9 hectares da família Schmitz, em Araguari, a produção é diversificada. São cultivados 25 mil pés de fumo no sistema orgânico (mais de 220 arrobas colhidas por ciclo), 500 suínos no sistema de terminação, 200 litros de leite por dia, além do cultivo de alimentos para a subsistência.


Nos últimos anos os investimentos em infraestrutura, compra de máquinas e implementos passa de R$ 500 mil. Segundo Adelar, 54 e a mulher Seli, 51, os auxílios repassados pela secretaria da Agricultura, pelo Programa de Incentivo à Produção Agropecuária Diversificada foram fundamentais para manter o filho Leandro, 27 e a nora Aline, 23, na propriedade.


Entre os serviços executados cita a terraplenagem para construção do chiqueiro, do galpão leiteiro, pagamento de parte do telhado das duas estruturas, transporte de esterco, recuperação de acesso, cheque incentivo pelas vendas registradas no talão de produtor e orientação técnica. “Em valores recebemos mais de R$ 30 mil. Sem este incentivo, com certeza não teria sucessores”, observa Adelar.


Leandro destaca a importância dos programas para estimular os jovens a se qualificar, melhorar a produtividade e o lucro. “Tivemos prejuízo de R$ 16 mil com a venda de leite após a empresa decretar falência. Com os incentivos fica mais fácil contornar as dificuldades e nos manter na lavoura”, enfatiza.


A família trabalha na ampliação do galpão onde estão alojadas as 32 vacas leiteiras. O objetivo é melhorar a infraestrutura e a qualidade do produto entregue à cooperativa. As máquinas da secretaria auxiliaram na terraplenagem e parte do valor investido, em torno de R$ 55 mil, será custeado pelo Executivo. “Dá vontade de investir, por que  somos reconhecidos e recebemos ajuda para crescer”, finaliza.


Valores aumentam


Conforme o prefeito Paulo José Grunewald, os valores a serem repassados aos produtores que investem na construção de aviários, chiqueiros, sala de ordenha e galpões foi reajustado.


No caso dos produtores de leite e gado de corte, o valor por metro quadrado é de R$ 12, com limite de R$ 6 mil para estruturas novas e R$ 2,4 mil para ampliações. O limite para aviários e chiqueiros novos é de R$ 9,6 mil e R$ 3,6 mil para estruturas ampliadas.


Ainda é realizada de forma gratuita a terraplenagem, o transporte de material, licenciamento ambiental, abertura de esterqueiras e acesso. “Assim nossos jovens tem apoio para ampliar e investir. Garante renda, qualidade de vida e a sucessão”, afirma.


R$ 1,6 milhão por ano


Conforme o secretário Adair Pedro Groders, o setor primário representa 74% da arrecadação municipal e por ano movimenta R$ 31,2 milhões. “Temos mais de 40 programas de auxílio. Aplicamos R$ 1,6 milhão para ajudar a profissionalizar, elevar a produtividade e o lucro nas propriedades”, comenta.


No município existem 198 produtores de leite, 25 suinocultores, nove avicultores e 48 famílias que cultivam tabaco.


Foto e texto Giovane Weber – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Forquetinha