Investimento busca garantir sucessão

Produtor aplica R$ 300 mil em novo aviário para encaminhar a permanência do filho na propriedade

Enquanto as máquinas da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente trabalham para finalizar os serviços de terraplenagem, Bernardo Radavelli, 10 anos, brinca no interior do novo aviário.

Acostumado a ficar ao lado do pai Wilson, produtor de frangos desde agosto de 2005, aprende desde cedo os segredos para obter sucesso na atividade. “Eu fiz este investimento pensando nele. Quero que assuma os negócios da família no futuro.”

O valor aplicado na nova estrutura, com capacidade de alojar 15 mil aves por lote, chega a R$ 300 mil. Por ano serão criados 90 mil frangos. Radavelli destaca a importância dos auxílios concedidos pelo Executivo.

“Além de permitir ao agricultor ter a chance de modernizar seu sistema produtivo, garante mais renda, qualidade de vida e a sucessão em muitos casos. Sem esta ajuda não teria como atender às exigências da integradora e acabaria por abandonar a atividade.”

Wilson e a mulher Graciela começaram a criar frangos há 15 anos. Na época ambos estavam empregados em uma fábrica de calçados. “Eu sempre tive o desejo de ter meu negócio e voltar para o setor primário. Agora tento ensinar ao meu filho as vantagens de investir no meio rural e fazer com que no futuro ele assuma a propriedade.”

Prioridade

O prefeito em exercício Grasiani Galli a atual administração possui em série de programas para auxiliar o produtor a empreender, modernizar sua estrutura produtiva e aumentar a renda.

“São estes incentivos que garantem novos investimentos, ampliam a produção e oferecem aos nossos jovens a possibilidade de ficar ou mesmo voltar ao interior.”

Para o secretário municipal da Agricultura e Meio Ambiente, Adair Pedro Groders, todo serviço de terraplenagem e detonação de pedras foi realizado de forma gratuita. Ainda será repassado um cheque incentivo calculado sobre a metragem construída.

“Compramos três retroescavadeiras novas para agilizar e qualificar o trabalho prestado aos nossos agricultores. Também temos máquinas terceirizadas contratadas para efetuar o serviço. Além de gerar economia, dá confiança para as famílias investir.”

Mercado promissor

Conforme José Eduardo dos Santos, Presidente Executivo da Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav), o setor avícola do RS, apesar de todas dificuldades continua até o momento em expansão no estado, novos empreendimentos surgiram e outros estão por vir.

Entre as dificuldades destaca a alta na cotação de milho e soja, intensificado por duas estiagens, pandemia e retração na oferta de grãos.

Enfatiza a importância do setor para a economia. “A avicultura do RS é a 3ª maior produtora de carne de frango, 3ª maior exportadora de carne de frango, está entre as dez maiores produtoras de ovos do Brasil e a 2ª maior exportadora de ovos do país.”

O setor tem peso considerável na balança comercial do estado e do país, a carne de frango está em segundo lugar na pauta geral de exportações do RS e corresponde a cerca de 45% do valor bruto da pecuária no estado.

Números

Aves abatidas - 824,5 milhões

Toneladas exportadas - 678,5 mil

Faturamento - US$ 912 milhões de dólares

Ovos - 3,5 bilhões de unidades de ovos por ano

São 30 frigoríficos, 7,5 mil integrados, 35 mil empregos diretos e mais de 500 mil indiretos

Fonte – Asgav

Fotos e texto Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Forquetinha