Juntos há 65 anos, casal fala sobre segredo de amor duradouro

Qual a fórmula para tantos anos juntos? A resposta é simples: amor com humor. O casal Ivo, 86, e Ilse Wunder, 84, de Bauereck, interior de Forquetinha, são carinhosos um com o outro o tempo todo

“Hoje a gente vê muitos relacionamentos rápidos. Briga, termina. O nosso relacionamento é justamente o contrário. Assumimos o compromisso de nos amar e respeitar a vida toda, até o dia da nossa morte”, afirmam.

Eles completaram 65 anos de matrimônio em 24 de novembro. A data foi comemorada com os quatro filhos, oito netos e sete bisnetos. Em entrevista falam do amor, das dificuldades e conquistas ao longo de quase sete décadas de convivência juntos.

Entrevista

Como vocês se conheceram?

Ivo e Ilse: Eu morava em Baixo Canudos, interior de Canudos do Vale e ela em Bauereck. Um amigo namorava uma vizinha dela e um dia a gente se conheceu. Em sábados eu a visitava de cavalo. Percorria em torno de 24 quilômetros. Sim, eu tinha que voltar de noite após a visita. Não é como hoje que logo ficam na casa e já dormem juntos. Eu tinha sogros muito bondosos, mas mesmo assim tinha que manter o respeito. A gente sentava para conversar, jantar e depois eu pegava meu cavalo e voltava. Às vezes rolava um beijinho às escondidas (risos). Quando minha sogra percebeu que eu realmente era um cara sério e tinha conquistado o coração da sua filha, permitiu que eu ficasse de noite para dormir, mas em camas separadas. Ele sempre foi muito cavalheiro e atencioso, isso fez eu me apaixonar nos primeiros encontros e continua assim até hoje.

Após quantos anos de namoro vocês casaram?

Ivo e Ilse: Ah, ele me deixou esperando quatro anos (risos). Mas foi um tempo bom para se conhecer, fazermos planos juntos e decidimos nos unir em casamento, civil e religioso. É uma decisão séria. Hoje a gente vê muitos relacionamentos rápidos. Briga, termina. O nosso é justamente o contrário. Assumimos o compromisso de nos amar e respeitar a vida toda, até o dia da nossa morte. Casamos de dia, em 24 de novembro de 1956, na igreja evangélica de Baixo Canudos, comunidade na qual fixámos residência até 2015, quando decidimos nos mudar para Bauereck.

E como foi o começo?
Ivo e Ilse: Difícil, mas sempre superamos tudo juntos. Somos muito dependentes um do outro. Isso não é carência, é amor e respeito. E esse exemplo sempre tentamos passar aos nossos filhos, netos e bisnetos. A união e a fé são fundamentais para manter uma vida a dois recheada de bons momentos e grandes conquistas. É preciso ter paciência, saber ouvir, dar atenção e isso tem que ser recíproco. A gente sempre trabalhou na roça, plantamos milho, soja, tinha vaca de leite, engordamos suínos e produzíamos alimentos para subsistência. Ah, a gente tinha parreiral e fazíamos nosso próprio vinho, fonte da juventude, da vitalidade e sinônimo de saúde.

Vocês nunca brigaram?

Ivo e Ilse: Meu jovem, claro que sim, isso é comum e todos os casais têm discussões e desavenças. Mas nunca pensamos em separar. A gente sentou, conversou e juntos procuramos achar uma solução. Hoje os casais não entendem o verdadeiro sentido do amor e nem querem. São relações por interesse, sem tolerância, com pouco carinho, a maioria por prazer e na primeira dificuldade separam. O casal sempre deve ser chegado um no outro, cultivar bons hábitos, dançar, cantar, ter fé, fazer planos e muito respeito um pelo outro. É preciso firmar raízes, ser leal, fiel, sincero e assim todas as adversidades são superadas.

E qual o segredo para manter viva a chama do amor?

Ivo e Ilse: A gente vive a cada segundo, a cada momento. Nosso passatempo é o rádio, uma boa dança, a gente adora uma valsa. Tomamos um copo de vinho por dia no almoço e até este a gente divide. Nunca pegamos dois para servir separado. Isso se chama cumplicidade. Relembramos cada passo da nossa linda trajetória juntos e todos os dias revivemos, sorrimos, choramos e agradecemos a Deus por tudo que temos, nossos filhos, netos e bisnetos. Ter eles ao nosso lado sempre foi e será a maior conquista de todas. Estamos completamente felizes quando nossa família está reunida. Os anos vão passando e frases que eram especiais no começo do namoro são até hoje e repetimos elas diariamente. Queremos manter o amor, o respeito e a cumplicidade até o último dia juntos. Gentileza gera gentileza, por isso sempre mantenha essa política dentro do relacionamento e assim sempre haverá espaço e vontade de escrever um novo capítulo.

Para saber

Intitulado como Bodas de Ferro ou Safira Azul, os 65 anos de casamento tem um significado mais que especial para o casal que comemora. A safira azul simboliza a lealdade e a verdade, a coragem e a autoconfiança. Já o ferro também é um material maleável quando está quente e sólido quando esfria.

Foto e Texto Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Forquetinha